PAGE-TYPE=single

Salivação excessiva é um problema comum na gravidez; veja o que fazer para aliviar o desconforto

Sintoma é comum no primeiro trimestre, pois a grávida produz o dobro do que uma mulher que não está esperando um bebê
0 Comentários

Um dos sintomas gestacionais mais corriqueiros é a salivação excessiva. Essa condição, também conhecida como ptialismo, é mais frequente no primeiro trimestre da gravidez, porém algumas mulheres continuam com esse problema até o nascimento do bebê.

Normalmente, produzimos de um a dois litros de saliva por dia, enquanto a gestante com ptialismo pode produzir o dobro. Essa superprodução pode causar inchaço das bochechas e da língua e, em alguns casos, sabor amargo na boca, o que piora ainda mais o problema.

Associado às náuseas e aos enjoos, as causas do ptialismo na gestação ainda não foram muito bem esclarecidas pela ciência.

+ Queixas frequentes durante a gravidez 

O que fazer

Não retenha saliva na boca. Se estiver prestes a babar, cuspa em um lenço ou guardanapo. Não há uma maneira de interromper definitivamente a produção excessiva de saliva, sendo que ela desaparece naturalmente ao longo da gestação.

Entretanto, algumas medidas podem trazer alívio à mãe, como evitar alimentos ricos em amido (pães e bolachas) e laticínios, comer frutas e bolachas salgadas, mascar chiclete ou balas de menta, fazer a higiene bucal corretamente e realizar refeições frequentes, em porções pequenas.

Chupar fatias de limão ou cubos de gelo pode ajudar, assim como escovar os dentes ou fazer bochechos com produtos à base de menta. A salivação excessiva tene a diminuir no final da gravidez.  


Revisado por:  Marcus Cavalheiro, médico Ginecologista e Obstetra
Mestre em Obstetrícia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp)
(CRM 30.077)

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *