PAGE-TYPE=single

Quando e como iniciar o processo de desfralde do bebê

Paciência e dedicação dos pais vão ajudar a criança nessa fase tão importante
0 Comentários

Parar de usar a fralda e começar a usar o banheiro representa uma grande etapa do desenvolvimento da criança e um enorme desafio para os pais. O processo de desfralde do bebê exige paciência, dedicação e observação, pois a criança é quem dá os sinais e inicia o processo. E não o contrário.

Em geral, os bebês se mostram aptos a controlar os esfíncteres (estruturas responsáveis pela expulsão das fezes e da urina) entre 1 ano e 10 meses até 3 anos.

Embora a idade seja um indicativo, o mais importante neste processo é o comportamento e a maturidade da criança. “Cada uma apresenta um ritmo diferente e individualizado. É uma etapa que requer treino e aquisição de habilidades e o bebê indica quando está pronto fisiologicamente e psicologicamente para iniciar e finalizar o processo”, afirma a pediatra Ana Estela Leite, do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Sinais 

“A criança começa a ficar incomodada com a fralda, deixa as fraldas mais secas do que antes, identifica ou pede para urinar e tem curiosidade sobre o uso do banheiro”, informa a pediatra Renata Rodrigues Aniceto, membro do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da SBP.

“Entre 1 ano e meio e 2 anos, o bebê começa a falar xixi ou cocô quando a fralda está suja ou quando sente vontade de ir ao banheiro. Também é comum inverter os nomes. Quer fazer xixi, quando na verdade deseja defecar e vice-versa”, completa o pediatra Marcio Nehab, do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz)

Como retirar 

Inicia-se o desfralde no período diurno, mantendo a fralda durante a noite. A melhor estação do ano para iniciar a retirada é o verão, devido à temperatura mais quente, pois facilita a higienização da criança e a lavagem das roupas.

Para iniciar o processo, converse com a criança e explique que ela cresceu e agora vai começar a usar o banheiro, assim como os adultos. Mostre o penico, deixe-o em local acessível e estimule o uso. Outra opção é usar o assento redutor na privada. Nesse caso, um banquinho é útil, pois, assim, os pezinhos não ficam suspensos.  

Durante os primeiros dias sem a fralda, a criança pode eventualmente urinar e defecar nas roupas, o que é um acontecimento normal. Os pais devem ter paciência e não demonstrar insatisfação e muito menos dar bronca, para evitar frustração e trauma. O incentivo dos pais é muito importante neste processo. Por isso, parabenize seu filho todas as vezes que ele conseguir chegar a tempo no banheiro.

“Após o sucesso do controle de esfíncter durante o dia, inicia-se a retirada da noite. Para isso, é indicado evitar líquidos até 1 hora antes de dormir, ir ao banheiro antes de deitar e, se necessário, colocar a criança para urinar 1 vez durante a madrugada”, explica a pediatra Renata.

Controle a sua ansiedade

Cada criança tem o seu próprio tempo de desenvolvimento e os pais precisam controlar a ansiedade, para não gerar uma série de frustações. “A antecipação ou condução errada do treino pode acarretar sequelas psicológicas e alterações orgânicas, como encoprese (evacuação nas vestes), constipação (prisão de ventre) e baixa autoestima. Por isso, os pais não devem fazer pressão sobre a criança e ter muita paciência. Devem encarar os insucessos com naturalidade e sempre adotar atitudes positivas”, indica a pediatra Ana.

Saiba que o processo é longo e pode levar até 10 meses, mas procure ajuda do pediatra, caso os escapes sejam recorrentes. O médico pode identificar se há algum problema, como disfunção de bexiga, ou se a pressão psicológica pode estar atrapalhando o processo.

Urinar ou defecar na hora em que quer exige amadurecimento da criança. Aquelas que são mais estimuladas a serem mais independentes, e têm pais pacientes e dedicados, irão passar por esse processo mais facilmente.

Mais dicas para o processo do desfralde se tornar mais simples:

– Criar uma rotina de banheiro. Levar a criança a cada 2 a 3 horas ao banheiro e colocá-la no penico ou redutor de vaso sanitário para treinar o esfíncter;

– Iniciar a retirada da fralda em casa e na escola simultaneamente, pois há um incentivo maior junto aos coleguinhas;

– Levar um livro adequado à faixa etária ou um brinquedo pode tornar o processo mais agradável;

– Existem fraldas de treinamento com formato semelhante ao das cuecas e calcinhas. A grande vantagem é que podem ser abaixadas e levantadas pela própria criança, o que não acontece com a outra, já que precisa ser aberta nas laterais e, muitas vezes, não pode ser reaproveitada;

– Quando for passar do penico para o vaso sanitário, usar um redutor de assento;

– Algumas crianças podem se recusar a sentar no penico no início do processo. Tentar usar o redutor ou brincar com um brinquedo na hora H, pode ajudar; 

– Evitar roupas como jardineiras, macacões, vestidos complicados, meia-calça e calças com cinto. Prefira roupas de elástico, fáceis de colocar e tirar. As calcinhas e cuecas devem ser larguinhas.

– Usar protetor impermeável de colchão para evitar molhar o colchão em caso de escape.  


Fontes:

Ana Estela Fernandes Leite, pediatra do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). (CRM 5250)

Renata Rodrigues Aniceto, pediatra e Membro do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) (CRM: 88006)

Marcio Nehab, pediatra do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) (CRM: 644064)

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *