PAGE-TYPE=single

O bebê precisa tomar banho de sol?

Exposição aos raios solares é benéfica, desde que algumas recomendações sejam respeitadas
1 Comentário

O sol pode ser um grande aliado da nossa saúde, desde que os horários e o tempo de exposição sejam respeitados e o mesmo vale para os bebês. Os raios solares também têm papel fundamental na ativação da Vitamina D no organismo, pois melhora a absorção do cálcio, fortalecendo os ossos. E saiba que o sol é responsável por cerca de 90% da aquisição de vitamina D pelo corpo! Os 10% restantes podem ser encontrados em alimentos, como leite, gema de ovo, manteiga, peixes de água fria e shiitake.

+Vitamina D: bebê precisa de suplementação

Cuidados
Crianças com deficiência de vitamina D podem desenvolver raquitismo, doença que inclui fraqueza e perda óssea. Porém, antes de tirar o seu pequeno de casa para tomar um solzinho, lembre-se de alguns cuidados. Os banhos de sol devem sempre ocorrer antes das 10h ou depois das 16h, horários em que o sol não está tão forte e os raios ultravioletas não são prejudiciais. A exposição aos raios solares não deve ser longa, então não deixe o bebê no sol por mais que 15 minutos.

Se estiver fazendo muito frio, deixe o banho de sol para outro dia. Caso a temperatura esteja muito alta e sem muito vento, é possível deixar o bebê apenas de fralda, para que os raios alcancem todas as partes do seu corpinho. Agora, se estiver ventando, vista-o com roupas mais leves. O ideal é expor braços, pernas, rosto e pescoço.

Também é possível tomar sol dentro de casa. No entanto, não pode ser na frente da janela, pois o vidro acaba bloqueando a passagem de ultravioleta B (UVB), essencial na formação da vitamina D.

Os banhos de sol devem ser diários. Se estiver com dúvidas, converse com o pediatra do seu filho e siga as recomendações para que o Astro-Rei não se torne um perigo na vida do seu bebê.

+Bebê pode usar repelente?

Na praia
Recém-nascidos não devem usar protetor solar. O ideal é não prolongar a exposição e utilizar barreiras físicas, como roupas de algodão e chapéus, que protegem mais que os bonés. O uso só é liberado após os seis meses de vida e, mesmo assim, os pais devem sempre procurar um protetor próprio para bebês, já que apresentam menor quantidade de substâncias que podem causar alergia. Já o Fator de Proteção Solar (FPS) deve ser de, no mínimo, 30, segundo a recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

+Os cuidados com o protetor solar


Fonte: Juliana Cahali, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Formada pela Faculdade de Medicina da USP e membro do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês. (CRM/SP: 97420)

1 Comentário

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *