Toda operação tem um risco e, em alguns casos, pode ser fatal.

No parto cirúrgico, além dos potenciais riscos inerentes a qualquer parto, acrescentam-se os riscos de uma grande cirurgia, podendo trazer importantes prejuízos para a mãe e o bebê.

O estudo “Morte materna no século 21”, publicado no periódico American Journal of Obstetrics and Ginecology, analisou 1,46 milhão de partos e encontrou um risco de óbito dez vezes maior para a gestante em partos cirúrgicos.

Enquanto a taxa de morte em partos normais foi de 0,2 para 100 mil, no caso das cesáreas chegou a 2,2 por 100 mil. Os bebês nascidos de cesariana podem reter secreções nos pulmões, que seriam expelidas normalmente na passagem pelo canal de parto. Além disso, o recém-nascido também pode ficar entorpecido pela medicação usada na mãe.

Entre as complicações que a gestante fica exposta podemos citar:

– Maior risco de infecções;
– Maior risco de trombose dos membros inferiores;
– Maior risco de hemorragias;
– Maior risco de reações aos anestésicos;
– Recuperação mais prolongada após o trabalho de parto;
– Maior incidência de dor no pós-operatório.

tavela cesária versus normal

Compartilhe!