Logo após o nascimento virá uma série de novos hábitos e procedimentos para a família, com vista a preservar a saúde da mãe e do bebê, de modo a garantir o maior bem-estar possível de ambos.

Tudo é igualmente importante!

Ao mencionar “higiene do bebê”, está se falando em primeiro lugar de higiene da própria mãe e do local onde o bebê costumará ficar. É muito necessário, então, lavar as mãos todas as vezes, antes de tocar o bebê, especialmente se a mãe acabou de usar o banheiro ou está vindo da cozinha ou da rua.Mulher lavando as mãos em água corrente

É que o bebê ainda não desenvolveu anticorpos suficientes para se expor a bactérias, micróbios e vírus que existem em todos os lugares e, por isto, tem de ser muito bem protegido.

Quanto à higiene do bebê, a limpeza de fezes e de urina deve ser feita com lenços umedecidos ou algodão e água bem limpa, para limpar sem que a delicada pele do bebê seja ferida, secando-o depois com uma fralda de algodão ou com paninhos esterilizados mantidos para isto (basta fervê-los e deixá-los secar ao sol).

No caso do nariz, por ser bastante comum haver secreção nasal nos recém-nascidos, o melhor é utilizar um paninho umedecido de algodão para remover com cuidado as casquinhas externas mais ressecadas. E como as secreções internas poderão atrapalhar a respiração do bebê durante a amamentação, use um pouco de soro fisiológico em cada narina para fluidificar a secreção nasal, antes de tentar removê-la com delicadeza.

Já, o banho, deverá ser dado uma vez ao dia, todos os dias e preferencialmente pela manhã, mas se não for possível deve ser feito no horário mais conveniente para a mãe: o mais importante é que ele nunca fique sem o banho diário.

bebê em uma banheira segurando um patinho de borracha com o braço esticadoMuita atenção: o bebê nunca deve ser deixado sozinho na banheirinha, para a mãe atender o telefone, pegar um objeto ou cuidar de outro assunto: pode haver um acidente!

Se preciso, pode ser usado um termômetro para medir a temperatura da água e se certificar de que ela não está nem quente nem fria demais: por volta de 36º C.

Deve ser usado sabonete neutro com glicerina na higiene corporal e do couro cabeludo do bebê, lembrando de lavar o rosto e as mãos dele, pois o bebê as está sempre levando à boca.

E se a mãe aprecia cheirinhos agradáveis, deve lembrar que nas primeiras semanas de vida do bebê não se recomenda o uso de óleos, perfumes, lavandas ou talcos, devendo ser usada apenas água corrente e limpa.

bebê chorando enquanto o médico corta o cordão-umbilicalO que restou do cordão umbilical após o nascimento é chamado de “coto umbilical”, o qual não tem função nenhuma depois do parto e ressecará lentamente até cair sozinho. O que a mãe deve fazer é cuidar para que o coto não inflame e nem infeccione, também impedindo que o bebê inadvertidamente tente arrancá-lo.

O local pode ser higienizado com álcool medicinal, ou outro desinfetante não alergênico, usando algodão ou cotonetes para isto a cada troca de fraldas e sempre depois do banho, até que o coto caia de uma vez. Em geral, a queda do coto umbilical ocorre até a segunda semana após o parto.

Logo após o nascimento, e o quanto antes possível, o médico pediatra deve realizar alguns exames no bebê:

Teste do Pezinho: pezinho de bebê em foco com tinta azul, e bebê desfocado chorando– Teste do pezinho: Algumas gotas de sangue retiradas do pé do bebê dias depois do parto permitem diagnosticar precocemente a eventual existência de doenças do metabolismo ou do sistema endócrino, para que, se for o caso, o pediatra possa orientar com mais segurança o que fazer.

– Teste da orelhinha: Este exame avalia a audição de forma simples, indolor e rápida, sendo realizado nos primeiros dias de vida, ainda na maternidade, ou após a alta.

– Teste do olhinho: Este exame permite identificar alterações no interior dos olhos, como catarata congênita, por meio do uso de um oftalmoscópio pelo pediatra logo após o nascimento, em geral na primeira consulta.

É muito importante que o bebê não seja levado nos primeiros meses para ambientes repletos de pessoas, como festas, salões de clube, shopping centers, escola dos irmãos ou igrejas, pois nestes locais é bem maior a probabilidade de haver pessoas com gripe, resfriado e outras doenças contagiosas, como caxumba, catapora, rubéola, conjuntivite, etc.

Se quiser passear com ele, a mãe deve optar por locais abertos, como praias, parques e jardins, preferindo sempre os primeiros horários da manhã, quando o sol é mais gentil, sem submeter o bebê a longos períodos de passeio sem descanso.

O mesmo tipo de cuidado deve ser tomado com quem for visitar o bebê: mesmo parecendo antipático, deve haver rigor em não deixar pessoas gripadas, resfriadas ou convalescentes de quaisquer doenças se aproximarem do bebê e nem tocá-lo. Mesmo que seja uma pessoa muito querida, ela entenderá a necessidade do cuidado!

Além disso, as visitas devem ser breves, de preferência nunca tarde da noite e sempre sem fazer barulho ou demasiada agitação, como costuma ocorrer quando muitas pessoas falam de muita coisa ao mesmo tempo.

Se alguém quiser tocá-lo, deve ser solicitado que lave as mãos, e sem que estejam fumando ou tomando líquidos quentes, como café ou chá.

Um bebe deve ser vestido com bom-senso! No calor, roupas leves; no frio, ou se houver exposição ao vento, roupas que agasalhem mais.

shutterstock_431658952Durante a mamada ocorre troca de calor entre a mãe e o bebê e, portando, ele deve estar menos agasalhado. Assim, se o bebê parece inquieto e está com vermelhidão no rosto ou nas mãos, deve poder ficar mais à vontade e sem uma das peças de roupa ou cobertura.

Mas quando o bebê estiver dormindo, é sempre bom cobri-lo com um cobertorzinho ou uma manta. Se mesmo com isso o bebê parecer desconfortável, sua temperatura deve ser medida e, em caso de alteração que não volte ao normal (35,5º a 36,5º graus C), o pediatra deve ser contatado o quanto antes possível.

Por fim, é bom lembrar sempre que os bebês inicialmente dormem durante grandes períodos de tempo, embora acordem com certa regularidade para mamarem.

Apenas após alguns dias após o nascimento é que o bebê começa a desenvolver uma rotina de sono e, por isso, é conveniente evitar que o bebê seja fortemente estimulado durante as mamadas da noite.shutterstock_64511872

Para isso, deve ser usada luz suave, a mãe e o pai devem falar com ele apenas de modo delicado e comedido, e o bebê deve ser trocado sempre antes da mamada, e não depois, pois após ter mamado ele tende a ficar com sono e a precisar dormir.