Nessa idade, o peso do bebê costuma estar de 10 a 11 quilos, em média, e alcança em torno de 80 cm de altura. A moleira (fontanela) já deve estar fechada, mas deverá ser avaliada pelo pediatra, que irá confirmar seu fechamento.  

Seu vocabulário já é composto de pouco mais de 10 palavras e vai aprender outras mais rapidamente, caso os pais o escutem com paciência e repitam naturalmente objetos e frases do cotidiano. Já é capaz de se reconhecer num retrato, dizendo seu nome, além de estar apto a nomear objetos familiares.

Começa a atender pedidos e a compreender uma proibição. Torna-se mais sociável e pode até mandar um tchau a um desconhecido na rua. Com a coordenação motora sendo desenvolvida, seu filho pode se interessar por atividades diferentes, como desenhar com o giz de cor ou lápis. Apesar de os primeiros desenhos serem basicamente apenas rabiscos, essa atividade ajuda e muito a melhorar ainda mais a sua coordenação.

Nas refeições, já tenta utilizar a colher, o garfo e o copo, mas somente aos três anos é que conseguirá usá-los de forma mais precisa. A mamadeira não deve fazer mais parte do dia a dia, mas o leite, e de preferência o materno, ainda continua sendo essencial para o bebê, pois é a uma boa fonte de proteína e cálcio.

Fase ativa

Aos 18 meses, o bebê é ativo, alegre, agitado e costuma dar uma canseira danada nos pais. Anda sozinho e corre desajeitado. Consegue subir com facilidade em uma cadeira ao seu alcance, o que requer muita atenção dos pais, e deseja explorar suas capacidades corporais a todo instante, seja querendo carregar uma caixa pesada ou empurrar uma cadeira para alcançar um objeto. Pode até ficar bravo quando alguém tenta ajudá-lo.

Adora mexer nas gavetas e trocar tudo de lugar. Brinquedos são muito bem- vindos, pois estimulam o desenvolvimento cognitivo e de coordenação motora. Alguns bons exemplos são brinquedos que imitam objetos da casa, blocos construtivos e bola, pois adora jogá-la, mas ainda não tem coordenação motora suficiente para recebê-la de volta. Gosta de brincar de correr e de ser pego. Como adora imitar os adultos, pode brincar que está falando ao telefone.

Por estar em uma fase tão agitada, é importante ficar de olho o tempo todo e manter a casa segura, principalmente a cozinha, que oferece inúmeros perigos aos pequenos: guarde produtos de limpeza e remédios em prateleiras altas e não deixe a criança perto do fogão. Vale o mesmo cuidado em relação ao banheiro e às escadas.

Esse espírito aventureiro também pode implicar as famosas birras. Tanto os pais quanto os filhos abusam da palavra “não”. A disciplina nessa fase é muito importante, por isso deixe claro à criança as regras e os limites. Porém, é preciso sensibilidade nos momentos de repreender, pois gritos podem piorar a situação, já que assustam o bebê. Uma dica é separar um tempo do seu dia para ficar juntinho dele e aproveitar para fazer atividades prazerosas para vocês, como contar histórias.

Toda essa energia uma hora acaba e a criança precisa dormir de 12 a 14 horas ao longo do dia. Nessa fase, o seu bebê já pode ter deixado as sonecas de manhã de lado, mas provavelmente ainda vai dormir por uma hora na parte da tarde. Como está maior e mais esperto, pode conseguir sair sozinho do berço. Se isso se tornar comum, talvez esteja na hora de aposentar o móvel e colocá-lo para dormir em uma cama própria para a idade.


Revisado por: Isabela M. Forni, médica pediatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), autora do Blog Eludicar/ Cuidado à criança. A profissional atende em unidades dr.consulta. (CRM/SP 163243).