Em relação ao 14º mês, o bebê deve ter ganhado aproximadamente 200g, atingindo uma média de até 9,7 kg e 78 cm de comprimento. O aleitamento é recomendado até os 2 anos e, nessa fase, ele já come de tudo e nem precisa de papinhas, pois pode comer a mesma refeição da família. Basta picar bem os alimentos para evitar engasgos e manter uma dieta variada e repleta de legumes e verduras. No entanto, cuidado com o excesso de sal, açúcar e gordura, já que os pequenos estão em fase de aprimorar o paladar e, dessa forma, terão menor risco de desenvolver a obesidade.

Os pais vão precisar de muita paciência, pois o apetite tende a diminuir. A criança está muito mais interessada em andar e pegar em tudo que vê, do que comer.  Vai querer apertar todos os botões do controle remoto, falar ao telefone, mexer em caixas ou qualquer outra coisa que esteja ao seu alcance. Isso, porque ela está explorando seu novo potencial físico. Além disso, adora imitar os adultos! Saiba que isso é um sinal de desenvolvimento intelectual: por isso, estimule, oferecendo brinquedos que lembrem objetos do cotidiano, como um molho de chaves ou um telefone de borracha. Vai ser um sucesso!

É nessa fase, também, que o seu filho vai começar a usar cada vez mais a imaginação. Estimule, propondo brincadeiras que envolvam o faz-de-conta e a leitura. Ele adorará brincar com bola, esconde-esconde e brinquedos com ritmos e sons, brincadeiras que ajudam no seu desenvolvimento motor. E fique de olho em uma eventual desavença com outra criança, pois eles ainda não aprenderam a dividir os brinquedos.  

Com o despertar da imaginação, o bebê pode começar a sofrer com pesadelos, embora sonhe desde os seis meses de idade. Pode acordar assustado, gritar e levar até meia hora para se acalmar. Basta dizer que está tudo bem e que os pais estão ali para protegê-lo, pois a criança só distingue entre sonho e realidade a partir dos quatro anos de idade.

Nessa etapa do desenvolvimento, o vocabulário do bebê consiste em uma média de quatro a seis palavras, responde a frases familiares e já consegue cumprir ordem simples, como apanhar um brinquedo e trazê-lo de volta.

A proximidade com a mãe é muito grande e o bebê recorre sempre a ela. Assim como desenvolve grande afeição a um cuidador, ou seja, quem lhe oferece comida, segurança e proteção. Já não estranha as pessoas e está sempre ocupado consigo mesmo. Todos esses sinais indicam que o desenvolvimento da criança está ocorrendo bem, a seu tempo.  


Revisado por: Isabela M. Forni, médica pediatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), autora do Blog Eludicar| Cuidado à criança. A profissional atende em unidades dr.consulta. (CRM/SP 163243).