Observar os movimentos do bebê é uma forma de saber se ele está bem.

No segundo trimestre, a gestante começa a sentir os primeiros movimentos dentro da barriga, que confirmam que o bebê está bem pertinho. É uma alegria e isso pode trazer uma sensação muito boa, que fortalecerá a ligação entre a gestante e o bebê.

Na primeira gestação, os movimentos na barriga são perceptíveis entre a 18ª e a 22ª semana de gravidez. A frequência dos movimentos depende muito de cada bebê e de cada mãe, e não existe um padrão de normalidade.

+ Quando o bebê começa a chutar a barriga?

Isso pode gerar ansiedade, mas o mais importante é a mãe ficar tranquila, fazer o pré-natal com regularidade e saber que, se estiver saudável, o bebê também deverá estar.

Em alguns momentos do dia, procure ficar mais tranquila para perceber as sensações de seu corpo. Coloque as mãos na barriga, feche os olhos e sinta o que está acontecendo. Isso pode lhe trazer confiança e diminuir preocupações.

+ Barriga: conheça os movimentos estranhos ao longo dos nove meses

A movimentação do bebê também depende do comportamento e das emoções da gestante:

– Os bebês são como nós somos: há dias em que estão mais agitados, sentindo vontade de chutar, soltar os cotovelos e joelhos para todo canto, enquanto em outros dias estão mais calmos;

– Os movimentos fetais são sentidos conforme a atividade da mãe. Se você se ocupa e se movimenta bastante durante o dia, não conseguirá perceber bem quando o bebê está acordado ou não. Somente à noite ou pela manhã é que conseguirá notar melhor o feto;

– Os bebês são mais ativos entre a 24ª e a 28ª semana de gestação. Não se esqueça: cada feto tem seu ritmo próprio de desenvolvimento e atividade. Então, desde que não haja redução radical ou desaparecimento do ritmo de atividade habitual do bebê, todas as variações são normais;

– A atividade do bebê também aumenta depois que a mãe se alimenta. Algumas também já descobriram que, se estão muito nervosas ou excitadas, a movimentação do bebê também é maior. Isto talvez se deva ao aumento da adrenalina na circulação materna;

– Se por acaso seu bebê está dando chutes dolorosos e socos incríveis, como se estivesse tendo um acesso de raiva, procure mudar a sua posição para conter este pequeno rebelde;

– Se você ingere muito álcool, ele diminuirá seu ritmo respiratório, porque o álcool debilita o sistema nervoso central que controla a respiração. Se você fuma, seu bebê também ficará com deficiência de oxigênio, porque sua amplitude de respiração também ficará diminuída. O oxigênio na corrente sanguínea é reduzido tanto pelo álcool como pela nicotina e estes interferem no sono do bebê;

– Pouco ou nenhum movimento do bebê num período de 12 horas não é natural. Fale com o seu médico obstetra ou vá imediatamente num pronto atendimento, pois isso pode ser sinal de que o bebê está em sofrimento.

– Algumas vezes, no final da gravidez, pode ser mais difícil perceber esses movimentos. Quando tiver dúvida, faça a seguinte experiência: coma alguma coisa, deite do lado esquerdo por meia hora em um ambiente tranquilo, coloque a mão na barriga e registre em um papel cada vez que o bebê se mexer. Em caso de dúvida ou se ele se mexer menos que 3 vezes em cada período de meia hora, procure seu médico obstetra ou o serviço de saúde. Não se preocupe se em algum período ele não se mexer, pois pode estar dormindo. Neste caso, repita o exercício depois de uma hora.


Revisado por: Marcus Cavalheiro, Médico Ginecologista e Mestre em Obstetrícia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) (CRM/SP 30.077)