Produtos à base de cafeína (café, chás, refrigerantes com cola e energéticos) devem ser eliminados durante toda a gestação.

Ela é um estimulante do sistema nervoso central, o que pode deixar a mulher agitada e com taquicardia, trazendo aceleração dos batimentos cardíacos não somente para ela, mas também para o bebê.

A substância é capaz de atravessar a barreira placentária e pode ser encontrada no plasma de recém-nascidos. Estudos demonstram ainda que uma elevada concentração de cafeína pode interferir no crescimento e desenvolvimento das células fetais.

E não se deixe enganar: cafés descafeinados contêm 30% de cafeína. Até aquele chazinho no final da tarde dever ser avaliado. Alguns chás, inclusive, podem ser abortivos, como o de canela e de cravo-da-índia.

E outros têm enorme quantidade de cafeína, como o chá preto e o mate. No entanto, alguns estudos apontam que o consumo de cafeína em doses baixíssimas não trazem prejuízos para a gravidez e nem para o desenvolvimento fetal.

Portanto, converse com o seu médico obstetra sobre o assunto.

Compartilhe!