As mulheres que iniciam a gestação com baixo peso têm mais probabilidade de apresentar complicações no parto, dar à luz bebês prematuros ou com baixo peso.

Da mesma forma, futuras mamães com sobrepeso ou obesidade também correm mais risco de ter complicações na gravidez e no parto, além de ter dificuldade em voltar à boa forma.

O peso ideal para uma gestante de boa saúde é de um acréscimo de 10 a 15 quilos durante os três trimestres, considerando uma média de 1,5 a 2 quilos no primeiro trimestre e de 400 a 500 gramas por semana nas semanas subsequentes.

Nem sempre há relação entre o peso da mãe e o peso do bebê. É possível engordar de 10 a 12 quilos e dar à luz um bebê de 3,5 quilos, ou ganhar 20 quilos e o bebê nascer com 3 quilos.

Se você estava com um peso inferior a 54 quilos quando engravidou, deverá engordar até 15 quilos. No caso de um peso superior a 54 quilos, deverá ganhar no máximo dez quilos até o final da gestação.

O peso em demasia só traz desvantagens:

– Dores nas costas e nas pernas, pela sobrecarga de peso;
– Azia (compressão do estômago pelo útero);
– Aparecimento de varizes;
– Surgimento de estrias;
– Fadiga.

Para evitar azia deve-se eliminar das refeições:

– Alimentos quentes ou muito condimentados; carnes processadas (salsichas e enlatados); alimentos fritos; refrigerante; chocolate; pimenta; álcool; açúcar; café.

Os alimentos ricos em fibras favorecem um bom funcionamento do intestino. Os gases acumulados em função da prisão de ventre causam certo incômodo, mas isto pode ser evitado:

– Não sobrecarregue o seu aparelho digestivo e realize sempre pequenas refeições;
– Mantenha regularidade na evacuação;
– Equilibre a ingestão de alimentos que produzem gases, como repolho, cebola, feijão, carne, brócolis, batata doce e doces em geral.

O bebê necessita de nutrição regular distribuída em intervalos regulares. Em vez de realizar três grandes refeições por dia, faça seis pequenas refeições e de forma alguma fique sem comer, pois o seu jejum será o jejum do seu bebê. Não se esqueça disso!

Clicando aqui você encontra a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, com os mais variados alimentos e suas informações nutricionais e calóricas.


Revisado por: Marcus Cavalheiro, Médico Ginecologista e Mestre em Obstetrícia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) (CRM/SP 30.077)