Conheça as doenças mais comuns que algumas grávidas podem sofrer.

Ao menor sinal de um problema, comente como o seu médico. O sintoma pode ser um alerta para complicações mais sérias, que exigem tratamento e, em muitos casos, atendimento imediato.

Pressão arterial elevada

Tanto a gestante com antecedente de pressão alta, como aquela que sofre com a hipertensão gravídica, merecem atenção, pois podem comprometer a saúde e a do bebê. Esta última surge somente na gestação, geralmente após a 20ª semana. Ambas se não forem tratadas, podem atingir os rins e os olhos por conta da redução no fornecimento de sangue e provocar o aumento no risco de um parto antecipado.

Mas, não precisa se apavorar, já que sua pressão será medida nas consultas de pré-natal. Boa alimentação e evitar o excesso de sal são fundamentais para ficar longe do problema. Tanto a hipertensão arterial crônica que se manifesta na gravidez como a hipertensão específica da gravidez (pré-eclâmpsia), quando se agravam, constituem uma situação de urgência e a gestante deve procurar um hospital imediatamente.

Hipertensão arterial crônica 028

Sintomas:

– Nenhum
– Em casos graves, de pressão muito alta, podem ocorrer dor no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal.

Pré-eclâmpsia

Mais comum na primeira gravidez, a pré-eclampsia é um problema que só ocorre durante a gestação, a partir da 20ª semana, e atinge em média 8% das mulheres. Não se sabe a causa exata dessa doença, mas a síndrome é mais frequente em mulheres obesas, adolescentes e acima de 40 anos ou grávida de gêmeos. Além disso, mães com hipertensão, diabetes ou doença renal crônica também correm mais riscos.

Muitas mulheres se sentem muito bem sem desconfiar do problema. No entanto, se você for bem acompanhada no pré-natal, o médico irá detectar a sua pressão alta numa consulta de rotina e vai pedir um exame de urina para confirmar a síndrome, que compromete o fluxo de sangue para o bebê. Isso quer dizer que ele não vai receber alimento suficiente para se desenvolver.

Um dos sintomas é a sensação de ver luzes piscando. Se a grávida já estiver com este problema, deve procurar atendimento imediato, pois isso quer dizer que a doença pode se agravar rapidamente e passar para outro estágio, a eclampsia, podendo ocasionar convulsões. Depois de dar à luz, a saúde da mulher deve ser acompanhada pelo médico. Na maioria dos casos, o mal se normaliza em seis ou sete semanas. Por conta da síndrome, a mulher precisar fazer um planejamento antes de ter o segundo filho.

Sintomas:

– Ver luzes piscando ou visão turva
– Inchaço nas pernas
– Excessivo ganho de peso
– Dores de cabeça persistente
– Dores no estômago

029Diabete gestacional

Exclusivo na gestação, o problema se instala quando o corpo deixa de produzir insulina suficiente para lidar com o aumento do açúcar no sangue. O risco da doença é maior em mulheres com histórico familiar de diabete, com mais de 35 anos e obesas.

Os sintomas podem ser confundidos com os da própria gravidez, como inchaço e ganho de peso. Mas fique tranquila, pois o problema pode ser identificado pelo seu médico em um exame, que irá confirmar uma taxa de açúcar no sangue maior que 95mg/dl em jejum. A maior complicação para a mãe é o fato do bebê ficar muito grande, cerca de 4kg, o que faz aumentar o risco do parto ser antecipado ou com data marcada. É possível controlar o mal com uma dieta saudável e ficar longe do açúcar. Em alguns casos, a grávida precisa tomar injeções de insulina.

Sintomas:

– Açúcar na urina (exame)
– Fadiga
– Sede excessiva
– Micção excessiva

Trombose

O problema surge quando um coágulo de sangue entope uma veia ou artéria, impedindo a circulação do sangue. Em geral, acomete as veias da panturrilha, coxa ou virilha. É mais frequente em grávidas acima de 35 anos, que estão acima de peso ou esperando gêmeos. Ao sentir alguma sintoma, a mulher deve imediatamente procurar um pronto-socorro, pois a trombose pode evoluir para um quadro mais grave, a embolia pulmonar. Isso porque, sem tratamento, o coágulo pode deslocar-se para os pulmões.

Caso seja detectado algum sintoma, o médico vai pedir um ultrassom chamado Doppler, que irá confirmar a trombose. Para evitar e atenuar os sintomas, a recomendação é usar meias de compressão, manter o hábito de realizar caminhadas diárias, tomar muita água, não passar muitas horas seguidas sentada e não fumar. Todas essas indicações facilitam a circulação sanguínea e evitam o mal.

Sintomas:

– Dor nas pernas
– Vermelhidão
– Calor na área do inchaço
– Aumento das veias


Revisado por: Marcus Cavalheiro, Médico Ginecologista e Mestre em Obstetrícia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) (CRM/SP 30.077)