PAGE-TYPE=single

Dias na maternidade; veja o que acontece passo a passo

Mães podem receber alta a partir de 24 horas após o parto
0 Comentários

Ao longo dos nove meses, a grávida vai se preparando gradativamente para o grande dia: o nascimento do filho. A expectativa é tanta, que muitas se esquecem de planejar ou se informar como serão os dias na maternidade. Acompanhe todas as etapas:

Internação na maternidade

Após fazer a admissão na recepção com a entrega dos documentos, o trabalho de parto costuma durar cerca de 14 horas para mães de primeira viagem e 8 horas em caso de gestações anteriores.

“Geralmente, a internação dura de dois a três dias e a mãe recebe alta ao completar 48h após o parto”, diz o ginecologista e obstetra Rodrigo Borsari, gerente médico do Hospital Nipo-Brasileiro.

No entanto, isso depende do estado de saúde da mulher e dos procedimentos no hospital. De acordo com o Ministério da Saúde, desde 2016 a orientação é de que a puérpera pode receber alta a partir de 24 horas após o parto, sendo que a medida vale tanto para hospitais públicos, quanto privados.

Para isso, a mãe deve estar em bom estado de saúde e ter recebido todas as orientações com os cuidados do recém-nascido. Já o bebê precisa ter nascido a termo (a partir de 39 semanas), com peso adequado para a idade gestacional, sem icterícia nas primeiras 24 horas de vida e com bom estado de saúde.

No parto

As maternidades públicas e privadas podem ter políticas diferentes em relação ao contato da mãe com o bebê após o parto. Porém, quando não há intercorrências, o processo é bastante similar.

Ao nascer, o obstetra leva o bebê junto à mãe pela primeira vez. Esse contato, além de emocionante, é muito importante para fortalecer o vínculo entre a mãe e o filho, já que ele consegue identificar o seu cheiro e sua voz, além de receber o primeiro contato físico, tão importante. 

Em seguida, os médicos separam os dois por um tempo para limpar a pele, cortar o cordão umbilical e realizar outros procedimentos necessários. Depois, o recém-nascido vai para um berço ao lado da cama da mãe, onde passará por algumas avaliações clínicas e pelo chamado teste de Apgar.

+Corte tardio do cordão umbilical;entenda por que esperar alguns minutos é o melhor para o bebê  

A mamãe também precisa de alguns cuidados após o parto. No parto natural, o obstetra faz uma higienização da região perineal, verificando se a placenta foi totalmente expelida.

Também pode suturar algum corte feito eventualmente para facilitar o parto. Já na cesárea, a recuperação da mulher pode demorar um pouco mais e os cuidados são um pouco maiores. A primeira amamentação é liberada a seguir. Tudo isso ocorre ainda na primeira hora de vida do bebê.

No quarto

Em algumas instituições, o bebê pode ser separado da mãe, sendo levado ao berçário, ao passo que, em outras, o neném é deixado para descansar com a mãe, o chamado alojamento-conjunto.

Em algumas maternidades particulares, a mãe pode escolher se quer descansar um pouco sozinha ou se deseja permanecer ao lado do bebê.

“Os recém-nascidos ficam no quarto a maior parte do tempo, só sendo levados ao berçário para realizar a troca de fralda e exames médicos durante o horário de refeição da mãe”, explica Rodrigo Borsari.

Segundo recomendação do Ministério da Saúde, bebê e mãe devem ficar juntos no mesmo quarto, a fim de incentivar o vínculo materno e o aleitamento. Além disso, o bebê fica mais protegido de eventuais infecções relacionadas ao ambiente hospitalar.

Aprendendo a cuidar

Enquanto a mamãe não recebe alta, a estada deve ser um momento de recuperação do parto e de aprender os primeiros cuidados com o bebê. Essa é uma oportunidade para a mãe receber corretamente orientações de profissionais como médicos e enfermeiras.

“A mãe recebe a demonstração de curativo do coto umbilical, a troca de fralda e o primeiro banho. Diariamente, a enfermeira do berçário passa nos quartos orientando e auxiliando as puérperas”, ressalta Rodrigo.

Quando o bebê está no berçário ou recebendo alguns cuidados dos médicos e enfermeiras, a gestante pode tirar um tempinho para si, descansando ou se alongando.

“O processo de dar à luz o bebê despende bastante energia da mãe, por isso ela deve procurar descansar sempre que a criança não estiver mamando. Também incentivamos caminhadas no corredor para estimular o trânsito intestinal e prevenir trombose venosa profunda”, recomenda o obstetra.

Receber visitas de parentes e amigos na maternidade também é uma alegria para a família, mas exige alguns cuidados, como pedir que todos lavem as mãos antes de entrarem em contato com a mãe e o bebê e não permitir a entrada de pessoas gripadas. Fazer esses pedidos e avisos aos familiares e amigos deve ser papel do pai ou do acompanhante da mãe.


Fonte:Rodrigo Borsari, ginecologista e obstetra gerente médico do Hospital Nipo-Brasileiro (CRM/SP 100772)

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *