Conheça as 5 principais causas que impedem ou interrompem a gravidez

0 Comentários

Cerca de 98% dos abortos espontâneos ocorrem em mulheres que possuem algum tipo de problema imunológico. O diretor médico e fundador do RDO Diagnósticos, Ricardo de Oliveira, aponta quais são os mais frequentes problemas, com base em um levantamento feito com 11 mil pacientes atendidas ao longo de uma década.

 

Tireoidite

A doença autoimune faz com que a mulher produza anticorpos que causam falha na implantação do embrião ou inflamação na placenta, provocando o aborto. Pode ser detectada por exames de sangue, e tratada com corticoesteroides que não atravessam a placenta.

Endometrite crônica

Inflamação do endométrio, tecido que reveste a parede interna do útero, causada por alteração imunológica e/ou infecciosa e impede a implantação do embrião. A mulher pode voltar a ser fértil após tratamento. Pode ser detectada por uma histeroscopia diagnóstica, e tratada com cirurgia, antibióticos e anti-inflamatórios

Trombofilia

Alteração imunológica e na coagulação sanguínea, desenvolvendo anticorpos que atacam a placenta, impendido a implantação do embrião e provocando aborto. Pode ser detectada por exames de sangue e tratada.

Aloimunidade

Ocorre quando o casal tem semelhanças genéticas e o corpo da mulher não reconhece a gravidez, interpretando o embrião como um corpo estranho e rejeitando-o. Pode ser descoberta através de uma prova cruzada por citometria de fluxo, e tratada com uma vacina produzida com linfócitos do sangue do pai.

Fator antinuclear

Quando os anticorpos do próprio organismo impedem o avanço da gestação. Os auto-anticorpos da mãe ‘atacam’ o embrião, causando intenso processo inflamatório placentário e/ou fetal. É detectado por meio do exame de dosagem de fator anti-núcleo (FAN), e tratado.


As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *