PAGE-TYPE=single

Já tomou todas as vacinas na gestação? Fique de olho no calendário

Ministério da Saúde lança campanha sobre vacinação, que tem a atriz Juliana Didone como madrinha
0 Comentários

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e as Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e Infectologia (SBI), lançaram, em parceria com o Ministério da Saúde, uma campanha de vacinação voltada para todas as gestantes do Brasil.

A meta da campanha é incentivar a imunização das grávidas, fazendo um alerta sobre a importância de manter a vacinação em dia durante a gravidez, além de espalhar a informação da disponibilidade das vacinas de forma gratuita no sistema público de saúde.

+ Vacinas essenciais durante a gestação e o pós-parto

A iniciativa surge após a divulgação de dados do Ministério da Saúde, que apontam uma queda na adesão de diversas vacinas indicadas às gestantes em 2017. A adesão à vacina dTpa (difteria, tétano e coqueluche), exclusiva para gestantes, por exemplo, oferecida gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) há três anos, foi de apenas 38,5% em 2017, segundo dados do Ministério. O objetivo era vacinar 95% do público-alvo. Outras vacinas como a da imunização contra hepatite B e a influenza também tiveram cobertura abaixo do esperado

Campanha

A campanha, cujo mote é “Calendário de vacinação da gestante: um sucesso de proteção para mãe e filho”, circulará até o dia 8 de junho, com o objetivo de gerar conscientização entre as grávidas do País sobre a importância da atenção e adesão ao Calendário Nacional de Vacinação.

A atriz Juliana Didone, grávida da primeira filha, foi escolhida como a madrinha da campanha, que terá materiais como folhetos e cartazes distribuídos para todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Brasil. Também foram criados um site e uma página no Facebook para a campanha, e os internautas terão acesso a um e-book especial. A estimativa da campanha é atingir mais de 19 milhões de pessoas com as ações na internet.

Segurança

É válido ressaltar que todas as vacinas indicadas às gestantes são seguras por serem feitas com vírus inativados. Apenas em casos específicos é que vacinas de vírus atenuados, como a da febre amarela, podem ser indicadas às gestantes que vivem em áreas de risco com casos confirmados da doença. Nesses casos, a grávida é acompanhada individualmente, recebendo a orientação do profissional da saúde responsável pelo seu pré-natal.

Além disso, as vacinas garantem mais saúde não só para a mãe, como também ao bebê, pois todos os anticorpos produzidos pela mãe são transferidos ao feto através da placenta, contribuindo, e muito, para o desenvolvimento do seu sistema imunológico.


Da Redação Clickbebê, com informações do Ministério da Saúde

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *