PAGE-TYPE=single

A importância de colocar o bebê para arrotar

Saiba qual é a melhor posição e por quanto tempo é preciso esperar pelo arroto
3 Comentários

O arroto é o ato de eliminar pela boca os gases presentes no estômago. É muito comum que isso ocorra com os bebês, principalmente após a amamentação, pois o ato de sucção do leite – seja materno ou dado na mamadeira – faz com que a criança engula uma maior quantidade de ar, que, quando acumulado no estômago, pode causar desconfortos e até mesmo cólicas ao recém-nascido.

Por isso, é importante colocar o seu bebê para arrotar logo após a amamentação. “A melhor posição é colocar a criança na posição vertical, apoiada sobre o ombros do adulto. O processo deve ser feito por pelo menos quinze minutos ou até que a criança faça a expulsão dos gases pela boca”, ensina o pediatra Aleksandro Belo Ferreira, do Hospital Assunção, da Rede D’Or São Luiz.

+ Como aliviar as cólicas do bebê 

Para crianças amamentadas no seio, o pediatra informa que essa manobra deve ser feita antes de oferecer a outra mama e ao final da amamentação. Lembre-se de colocar uma fralda de pano para proteger o seu ombro, já que às vezes o arroto é acompanhado de um pouco de leite. Também não é necessário se preocupar caso o seu filho não arrote; isso apenas significa que não há gás suficiente para arrotar.

Risco de refluxo

“Quando a mãe não coloca a criança para arrotar, ela começa a ficar irritada e pode apresentar também um maior risco de ter episódios significativos de refluxo”, afirma o pediatra Flávio Melo, autor do blog Pediatra do Futuro. Além disso, a grande quantidade de gases no estômago do bebê leva à distensão abdominal, além de provocar a sensação de saciedade. Esses dois eventos levam o bebê a interromper a mamada e não aceitar mais o seio ou a mamadeira até a melhora do quadro.

No caso de o bebê arrotar em excesso, o ideal é levar a criança para ser avaliada por um pediatra, pois pode indicar a presença de alguma doença digestiva. Essa situação deve ser acompanhada por especialista, principalmente se esses incidentes continuarem acontecendo depois da inserção de alimentos sólidos no cardápio da criança.

+Refluxo em bebê: entenda e saiba quando deve ser tratado


Fontes: Aleksandro Belo Ferreira, pediatra do Hospital Assunção, da Rede D’Or São Luiz (CRM: 140650)
Flávio Melo, pediatra e autor do blog Pediatra do Futuro (CRM: 5239/PB)

3 Comentários

  • Meu BB dormia mamando todas.as vezes e ficava sem arrotar, então começou ter desconfortos, foi ao pediatra que deu domperidona medicacao para refluxo, esse remédio deu reação, levei na homeopata que observou que meu BB engolia muito ar na mamada , assim foi preciso corrigir a forma de mamar, com isso ele já melhorou muito e tbm não permitindo dormir mamando e arrotando sempre , hj ele está muito bem e estamos testando eu não ingerir derivados de leite há um mes, tenho retorno semana q vem e vou contar a medica a melhora dele …
    Contudo quero dizer que a instrução correta previni alguns episódios, talvez se meu BB nunca ficasse sem arrotar ele não teria passado por esses desconfortos.

  • Minha bebê tem 2 meses e foi diagnosticada com refluxo levei ao pediatra e ela passou ranitidina mais as vezes ela chora muito e também gofa muito .A pediatra passou disperidona e não tenho segurança em dar a medicação.

    • Olá, Maria! Tudo bem? Se os remédios não estão ajudando ou se você está com dificuldade em dá-los à sua filha, é melhor levá-la ao pediatra novamente. Ele certamente saberá o que fazer. Abraços e boa sorte, Equipe Clickbebê.

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *