PAGE-TYPE=single

5 dicas para pular carnaval com o bebê de forma segura

Para evitar imprevistos durante a folia, fique de olho nessas recomendações
0 Comentários

Quem acha que pular Carnaval é impossível com um bebê a tiracolo está completamente enganada. Há cada vez mais opções de festas, blocos e atividades voltadas para os pequenos, espalhadas nas principais capitais do Brasil. A folia é ótima para divertir pais e crianças, mas é preciso ficar de olho com algumas situações, para evitar imprevistos. Confira cinco dicas de segurança no carnaval:

Idade

A recomendação é que os bebês mais novinhos não participem da folia, porque o barulho e a agitação podem fazer mal, uma vez que ele ainda não está acostumado com tanta agitação, sem contar o fato da sua audição ser muito sensível.

Os estímulos intensos da festa podem deixá-lo agitado e indisposto, causando muita birra e, por isso, é recomendável que os pais de bebês com menos de 6 meses de idade adiem o primeiro carnaval do pequeno até o ano que vem. A partir dos 6 meses, o bebê já interage mais com o ambiente e a família toda poderá aproveitar melhor a festa.

+Confira os blocos infantis do Carnaval 2018 

Barulho

Carnaval é sinônimo de muita música, mas se o volume for demasiadamente alto, pode prejudicar o bebê, mesmo os maiores. Portanto, o lugar escolhido para pular não deve ser barulhento demais e o mais indicado é que os pais sempre levem o bebê para blocos e festas infantis nos quais o volume da festa não é tão alto quanto a dos adultos. Festas em ambientes abertos são melhores, pois minimizam o efeito nocivo do som alto.

+ Cantar de brincar ou de ninar produz bem-estar ao bebê

Confetes, serpentinas e espumas

Acessório como esses são tradicionais nos bailes de Carnaval do Brasil inteiro, mas apesar de deixarem a festa mais bonita e divertida, podem causar acidentes quando usados de maneira imprudente.

Os confetes, quando atirados para cima, podem ser engolidos pelas crianças, causando asfixia. Por isso, é melhor não levar esse tipo de acessório ou pelo menos tirar o seu bebê de perto, caso as crianças maiores comecem a atirá-lo. O mesmo vale para as serpentinas.

Os sprays de espuma podem causar irritação na pele e lesões nos olhos; por isso, é preciso usá-los com bom senso, de preferência pelos adultos da festa, nunca os deixando nas mãos das crianças.

+Ideias de fantasias de Carnaval para o bebê

Calor

Os pais também devem proteger o bebê do calor em dias quentes, sempre aplicando o filtro solar adequado para a idade, caso a folia seja ao ar livre. As roupas devem ser leves e, de preferência, feitas com tecidos naturais, como o algodão.

Caso esteja pensando em fantasiar o seu pequeno folião, evite fantasias pesadas e cuidado com partes que se soltam, como enfeites e cordões, pelo perigo de asfixia e de quedas.

Hidratar a criança, oferecendo leite materno, água, suco ou água de coco regularmente, também é essencial, assim como prestar atenção se o bebê não está dando sinais de cansaço. A folia deve durar no máximo 2 horas.

+Bebês podem usar filtro solar? A recomendação é diferente para cada faixa etária

Outros cuidados

Como os blocos e bailes de carnaval costumam ser sempre cheios de gente – mesmo os infantis –, pode ser fácil perder seu filho em meio à multidão. É bom estar sempre de olho no bebê caso ele já saiba andar, pois um minuto de distração pode ser suficiente para perdê-lo de vista. Segurá-lo pelo pulso, ao invés de pela mão, pode dar mais firmeza e evitar que o pequeno ‘fuja’.

Por fim, é válido escrever um cartão com informações de identificação e de como contatar os pais da criança, e deixá-lo na roupa do bebê. Casos de crianças perdidas são muito mais comuns do que se imagina; por isso, prevenção nunca é demais.

Com todas as medidas tomadas, pais e bebês estão liberados para cair na folia!


Da Redação Clickbebê

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *